Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ancestralpampilhosense

A intenção é partilhar este meu gosto pelas antiguidades, pelas histórias, pelas tradições e tudo o que tenha a ver com o património pampilhosense e sensibilizar os descendentes da Pampilhosa da Serra a darem mais valor às suas raízes!

A intenção é partilhar este meu gosto pelas antiguidades, pelas histórias, pelas tradições e tudo o que tenha a ver com o património pampilhosense e sensibilizar os descendentes da Pampilhosa da Serra a darem mais valor às suas raízes!

O Dia da Espiga

 

 

 

 

O Dia da Espiga coincide com a Quinta-Feira da Ascensão, por isso mesmo, é uma data móvel que vai seguindo o calendário litúrgico cristão.

Para os cristãos, a Quinta-Feira de Ascensão, assinala a Ascensão de Jesus ao céu, ao fim de 40 dias após o Domingo de Páscoa.

O Dia  da Ascensão é celebrado tradicionalmente na quinta-feira, no entanto, assim como na Pampilhosa, também outras localidades mudaram a celebração para o domingo seguinte.

É considerado também o "dia da hora" e "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. No nosso concelho as pessoas guardavam tal respeito por este dia que diziam "se os passarinhos soubessem, nem comiam, nem bebiam, nem punham os pés no chão".

Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". E era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo a que se dava o nome de Espiga.

Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da Espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

As várias plantas da Espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso.

 

- O trigo (representa o pão);

- O malmequer (representa ouro e prata);

- A papoila (representa amor e vida);

- A oliveira (representa azeite e paz);

- A videira (representa o vinho e alegria);

- O alecrim (representa saúde e força).

 

Segundo a tradição o ramo era colocado por detrás da porta de entrada e só devia ser substituído por um novo no Dia da Espiga do ano seguinte.

Acreditava-se que trazia pão, abastança, saúde, alegria e sorte aos donos da casa.

 

 

Em algumas aldeias do concelho da Pampilhosa, e também noutros pontos do país, para além da Espiga, era colocado atrás da porta um saco com um pão benzido e cinco tostões. Mas havia aldeias em que só faziam a Espiga e outras em que não a faziam. Uma coisa em comum todas as terras do nosso concelho tinham, a de que a Quinta-Feira da Ascensão era um dia santo e por isso mesmo devia guardar-se respeito.

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.