Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ancestralpampilhosense

A intenção é partilhar este meu gosto pelas antiguidades, pelas histórias, pelas tradições e tudo o que tenha a ver com o património pampilhosense e sensibilizar os descendentes da Pampilhosa da Serra a darem mais valor às suas raízes!

A intenção é partilhar este meu gosto pelas antiguidades, pelas histórias, pelas tradições e tudo o que tenha a ver com o património pampilhosense e sensibilizar os descendentes da Pampilhosa da Serra a darem mais valor às suas raízes!

A Rádio em Pampilhosa da Serra

Rádio 1.JPG

Foi através das experiências dos dois cientistas, Tesla e Marconi que o caminho ficou aberto para as imensas emissões Rádio que temos hoje em dia. Em Portugal, foi nos anos 20 do século passado que começaram a ser feitas as primeiras experiências com este novo meio de comunicação. A Emissora Nacional de Radiodifusão (atualmente Antena 1) nasce em 1935 e um ano depois, a Rádio Renascença inicia as emissões experimentais. A revolução de 25 de abril de 1974 nacionaliza todas as rádios em Portugal à exceção da Rádio Renascença.

Mas é no ano de 1977 que começam a surgir as primeiras “Rádios Piratas”. E Pampilhosa da Serra não foi exceção.

 

Rádio 2.JPG

 

Em 1982, Júlio Simões cria a Rádio Antena de Pampilhosa da Serra com a frequência 97.4. As instalações da Rádio Antena ficavam no último andar onde é atualmente o Museu Municipal, tendo duas antenas, uma no edifício sede e outra no “Cabeço da Urra”.

A programação era muito vasta, desde a cultura portuguesa e local, o teatro radiofónico, desporto, discos pedidos, até programas de Rock.

Os programas da semana começavam às 17:00 e terminavam por volta das 02:00 ou 03:00 da manhã.

Na segunda-feira, o Zé Luís trazia um programa de história, à terça-feira o programa era variado, na quarta-feira literatura, na quinta-feira o Zé Maria dedicava um programa ao rock, mais concretamente aos Xutos & Pontapés e na sexta-feira realizavam entrevistas, centrando-se também no desporto onde faziam uma antevisão dos jogos que iam acontecer.

Aos sábados a programação era virada para o entretenimento e cultura e às 08:00 a rádio iniciava com um excerto da alvorada tocada às 05:00 pelo Grupo Musical Fraternidade Pampilhosense em dias de festa. E o tema era mesmo esse, a Festa, “A Festa do Galo”, “A Festa do Gato”, etc. E dentro desse tema os ouvintes ficavam a saber particularidades do patrono da festa.

Ao domingo a rádio começava à mesma hora de sábado, com o Luís Nunes e Rui Miguel fazendo o programa “Domingo na Cama”, depois havia uma explicação da liturgia desse domingo e seguia-se a Eucaristia a partir da Igreja Matriz, onde também estava um transmissor. Após a Eucaristia dava lugar à restante programação.

disco irmãos 5.JPG

Quem não se lembra dos discos pedidos em que se telefonava para a rádio ou se entregava os famosos papelinhos para se ouvir a música pretendida?

A Rádio Antena de Pampilhosa da Serra terá sido mesmo a primeira rádio em Portugal a passar Tony Carreira, ou melhor, “Irmãos 5”, o primeiro grupo musical formado pelo agora conhecido pampilhosense, Tony Carreira.

 

Rádio e capa do disco irmãos 5.JPG

 

Em 1984 a Rádio Antena muda de instalações para o edifício da Santa Casa da Misericórdia de Pampilhosa da Serra.

Para a história das “Rádios Piratas” de Pampilhosa da Serra ainda havia de surgir a Rádio Nova Antena, com a frequência 97.8, em 1986, por iniciativa de José António Maia. As instalações eram num edifício situado no Largo José Henriques da Cunha e tinha duas emissoras, no Sobral e no Cabril.

Tanto a Rádio Antena como a Nova Antena, tinham os programas “assistidos tecnicamente por Jorge Dias”.

Em 1987, mais concretamente a 11 de março, surge legislação para as rádios, a que obriga as rádios a terem licenciamento (Lei 8/87).

As rádios de Pampilhosa da Serra deixam de emitir, assim como todas as “Rádios Piratas” de Portugal. Apenas 40% conseguiriam legalizar-se!

Deixo aqui alguns nomes que deram o seu contributo para as “Rádios Piratas” de Pampilhosa da Serra: Alberto Martins, António Augusto Cunha, António Fausto Almeida, António Marques, Fernando Silva, João Paulo Duarte, Jorge Dias, José António Maia, José Luís Aleixo, José Maria Dias, José Quitério, Júlio Simões, Luís Nunes, Luís Silva, Pedro João Gaspar, Rui Miguel Nunes.

Pampilhosa da Serra só terá tido alvará de rádio a 14 de dezembro de 2001 (deliberação n.º2168/ 2001 da Alta Autoridade para a Comunicação Social, D.R. n.º288, II Série de 14 de dezembro de 2001). Foi a concurso público por despacho conjunto n.º98-A/98, de 25 de janeiro (2ª série) para atribuição de alvará para o exercício da atividade de radiodifusão sonora da frequência de 97,8 MHz e 27,0 d BW PAR, no concelho de Pampilhosa da Serra, ganhando o concurso a Escola de Condução Castanheirense, Lda. (Proc.67).

Sendo igualmente, a Escola de Condução Castanheirense, Lda. detentora do alvará da rádio de Penela (São Miguel 93.5), as duas rádios eram transmitidas em simultâneo, tendo as suas instalações em Castanheira de Pera.

Entretanto as rádios passam para a empresa FERCORBER- Madeiras e Materiais de Construção, Lda., mantendo-se a mesma gerência.

Somente em agosto de 2007, e aos fins de semana, a Rádio Pampilhosa 97.8 passa a transmitir de Pampilhosa da Serra, mais concretamente da “Casa do Dr. Afonso” e com um locutor pampilhosense, João Carlos Silva. Um sonho tornado realidade através da professora Marisa Morgado, mas que veio dar a conhecer o talento deste jovem locutor. O João colaborou na Rádio Pampilhosa 97.8 até novembro de 2014.

Atualmente a Rádio Pampilhosa 97.8 está a ser transmitida a partir de Castanheira de Pera.

 

João Silva de agot 2007 a nov 2014.jpg

(Fotografia do João Carlos Silva na Rádio Pampilhosa 97.8)

 

2 comentários

Comentar post